domingo, 29 de maio de 2011

VISÃO ESPIRITUAL E SABEDORIA DE DEUS

Assunto: Luz dos olhos.

Mateus. 6:22,23- A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz; Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!

O homem que não tem visão de Deus, é como o cego que não sabe o que Deus quer da sua vida nesta terra, é escravo da luxúria do mundo de pecado, e vive em trevas, quer dizer, sem direção e sem discernimento.

Quando adquirimos o Conhecimento da Palavra de Deus, nosso olho espiritual tem a Luz, direção de Deus, onde poderemos viver com garantia futura da salvação.

A Sua “Palavra” é Luz para o nosso caminho, ela é a nossa direção, onde andaremos confiante que tudo que fizermos, será para honrá-Lo e glorificá-Lo, nesta vida terrena em “Temor”.

A Sua “Palavra” é para adquirirmos fé inabalavel e proteção do Senhor.

Todos devem examinar a sua vida, conservando sadia, para que a Palavra de Deus possa santificá-lo e renová-lo dia após dia.

Discernimento da Palavra de Deus.

O acúmulo de riquezas é um trabalho tão envolvente que, logo ocupa todo o nosso tempo e nossa mente, nossa vida e até a nossa pessoa (alma). Deixamos a primazia de Deus.

Este é o perigo que corremos quando não temos o “Conhecimento”, é por não estarmos firmados na Palavra de Deus. Por causa disso é que Jesus cita a vida de Salomão.

Salomão pediu Sabedoria para Deus, e além da Sabedoria Deus também lhe deu riquezas, e avisou que não apartasse de seus mandamentos, como fez seu pai Davi.

Por causa destas coisas, muitos deixam do Evangelho do Senhor Jesus, e se prendem a coisas materiais se preocupando com o dia de amanhã, o nosso futuro pertence só a Deus, não temos certeza se estaremos vivos amanhã.

Por causa do descuido em busca dos muitos afazeres e deixar de buscar a santificação na Palavra de Deus. “A solicitude da vida”.


Por isso, temos que pedir “Sabedoria” para poder administrá-la dentro do padrão de Deus.

Ter bens é dom recebido de Deus, é presente, mas com muito cuidado e “temor“, é preciso saber como usar estes bens financeiros, para que o Nome de Deus seja glorificado em nossas vidas.

Então, Jesus explica que devemos buscar primeiramente a Sabedoria e o Conhecimento da Sua Palavra, colocando Deus em primeiro lugar, e assim tudo Ele irá acrescentar.

Quer dizer, depois vamos receber muitas bênçãos no trabalho, honesto e digno, receber tudo do bom e do melhor, roupas, calçados, melhores do que a de Salomão.

Porque Deus nos dará Luz para o nosso entendimento, orientação e direção.

Josué- 1:8- Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então fará “prosperar” o teu caminho, e serás bem sucedido.


“Não aparte dos olhos a Palavra de Deus”. Nossa primazia tem que ser de Deus.

Deus abençoe a todos.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Estudo Bíblico diário

"São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso;se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!" - Mateus 6:22-23
Esta ilustração foi proferida por Jesus especialmente para os Fariseus, e outras autoridades religiosas. Tais homens transformavam a religião em um grande drama mundano, motivados somente pelos interesses pessoais.

Não se pode dizer que nunca tiveram algum impulso espiritual, mas este sempre surgia mesclado com os seus apetites carnais.

Jesus acabara de dizer a verdade sobre os tesouros na terra e nos céus. Alguns desejavam possuir ambas as coisas, e, assim, pretendiam servir a dois senhores, ao Deus Criador dos céus e da terra, e a "Mamom" (isto é, às riquezas).
O olhar desses indivíduos era DUPLO, e não SIMPLES.

I - "SE OS TEUS OLHOS FOREM BONS, TODO O TEU CORPO SERÁ LUMINOSO;" (v.22b)

"BONS" = significa: SIMPLES, ou NÃO MÚLTIPLOS.

Os olhos saudáveis vêem uma imagem só, e não duas, como sucede no caso de certas doenças dos olhos...
Assim também a alma banhada de luz espiritual:
- vê somente uma imagem
- é orientada por um só propósito
- serve a um só Deus
- busca exclusivamente as riquezas celestes, e não também as terrenas
- segue um só código de moral

O olho natural capta a luz que guia todo o corpo em suas ações. A ALMA, a mente SIMPLES, recebe de Deus a luz espiritual para guiar o homem no caminho de Deus.

A saúde dos olhos físicos determina se uma pessoa pode ver, ou não. A percepção espiritual é obtida pelos Olhos do Coração!
Se o coração espiritualmente está enfermo, a visão espiritual é comprometida. "Iluminados os olhos do vosso coração" - Ef 1:18.

"Só se vê bem com o coração; o essencial é invisível aos olhos" - Saint-Exupéry

Os "olhos espirituais" de uma pessoa são "bons" quando o divino e o humano se encontram e interagem. Ou seja, quando o olhar do homem natural se submete à direção do olhar espiritual, gerando uma visão SIMPLES, e não dupla!

O indivíduo pleno da Luz do Senhor ilumina o mundo ao seu redor, assim como um candeeiro ilumina a sala toda.

II - "SE, PORÉM, OS TEUS OLHOS FOREM MAUS, TODO O TEU CORPO ESTARÁ EM TREVAS." (v.23a)

"Olhos maus" significa: "olhos enfermos" - que não funcionam corretamente, que não podem captar uma IMAGEM SÓ, ÚNICA, mas sempre enxerga duas imagens, distintas...

O Senhor Jesus está falando da faculdade espiritual, utilizando-se do símbolo da visão. Se essa faculdade não for NORMAL, mas enfermiça e fraca, o indivíduo não terá bom senso espiritual para evitar o servir a dois senhores. Os fariseus e os religiosos daquela época estavam sofrendo dessa DUPLICIDADE espiritual.

A única LUZ que pode iluminar verdadeiramente a alma é JESUS.

Se o ser humano troca esta LUZ por outras falsas luzes, então a luz que nele há são trevas, e quão grandes trevas!

Quando a pessoa vê Jesus, mas também vê os interesses mundanos, a sua visão está enferma, gerando visão dupla, ao invés da visão simples. Mas o corpo não poderá seguir duas visões, dois caminhos... Surge então o conflito interior, gerando insatisfação e levando esta pessoa a um caminhar inseguro, de indecisões, desacertos, fracassos e derrotas.

A luz pervertida produz trevas ainda maiores! "caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão"!
É preciso buscar a cura para a visão enferma, enquanto ainda há tempo...

III - LIÇÕES OU PRINCÍPIOS ESPIRITUAIS

1. NOSSA VISÃO DO REINO DE DEUS SERÁ SEMPRE MÍOPE, SE OS OLHOS DO NOSSO CORAÇÃO ESTIVEREM VENDO DUPLAMENTE!

2. PARA ENXERGARMOS A BELEZA QUE HÁ AO REDOR, PRECISAMOS RENOVAR PRIMEIRO A NOSSA VISÃO INTERIOR.

3. A VISÃO MÁ, ALÉM DE AGUÇAR A CEGUEIRA ESPIRITUAL, DEFORMA O CARÁTER DO INDIVÍDUO.

4. SOMENTE COM OS OLHOS DO CORAÇÃO PODEREMOS VER A GLÓRIA DE DEUS.


IV - CONCLUSÃO

Cuidado! As preferências do seu coração determinarão a direção do seu olhar, e do seu caminhar!

"Buscai as cousas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus." (Colossenses 3:1-b)

Ame ao Senhor acima de todas as cousas. Estabeleça-O como prioridade número um na sua vida! Elega-O como o seu verdadeiro e único tesouro "...porque onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração" (Mateus 6:21). Não permita nunca que o seu coração esteja dividido. Dê o seu coração inteiramente e exclusivamente para Jesus!

Chegue para mais perto da Luz e você será ainda mais iluminado! Resista à carne, ao pecado e a satanás, a fim de que os olhos do seu coração sejam sempre "bons" e lhe permitam ver adequadamente, como convém aos santos.

Obesidade




TRATAMENTO PARA EMAGRECIMENTO

APRESENTAÇÃO: Porque as pessoas engordam?
A obesidade é considerada como resultante de um desequilíbrio energético, decorrente de uma entrada (input) de energia no organismo que excede os gastos (output).
Existem dois tipos de obesidade: Exógena ou comum, conhecida como primária ou nutricional. E a endógena ou metabólica, conhecida também, como secundária.

De 95% a 97% dos casos de obesidade tem como causa o fator nutricional, e apenas cerca de 3% tem causas metabólicas, como doenças de ordem psíquicas, endócrinas, neurológicas e/ou induzidas por algum tipo de droga. Dentre as causas metabólicas mais conhecidas, podemos citar o hipodireoidismo, a síndrome dos ovários policísticos, o tratamento com hormônios sintéticos usados como contraceptivos ou na menopausa.

A obesidade é uma síndrome determinada por inúmeros fatores, genéticos, ambientais, sedentarismo, cultural-nutricional, psicológico e emocional, que interagem mutuamente na origem e desenvolvimento da mesma.

Dessa forma podemos dizer que as pessoas engordam por diferentes motivos:

- Comem compulsivamente ou comem grandes quantidades;
- Consomem mais calorias do que gastam. Decorrente do sedentarismo ou se alimentam de forma desequilibrada;
- Baixo metabolismo do corpo (ingerem pouco alimento, mas o organismo tem grande capacidade de armazenar energia em forma de gordura);
- Ou o mau funcionamento de alguns hormônios ou substâncias no nosso organismo, que regulam entre outras coisas, a fome e a saciedade.

Ainda, devemos considerar a hereditariedade, mesmo que esta, por si só, não seja suficiente para desencadear a obesidade. Mas é inquestionável que os fatores genéticos exercem influência considerável na obesidade. Estudos sobre a genética do comportamento demonstram que o IMC é herdado conforme uma proporção que varia entre 25% e 40%.
A velocidade com que a obesidade vem crescendo geometricamente no mundo inteiro, já está sendo reconhecida como uma grande preocupação da Saúde Pública e por vezes, considerada até como epidêmica. Considerada como doença crônica progressiva que acarreta uma série de outras doenças associadas ao excesso de gordura, não pode ter como causa somente a propagação do gene da obesidade.

Do ponto de vista psicológico, a psicossomática entende que a obesidade é uma doença decorrente de um conflito interno relacionado com as emoções, que por algum motivo ou razão, inconsciente ou consciente, foi reprimido com intuito de evitar alguma dor. Dessa forma, a psicossomática entende que o comer compulsivo, nos seus diferentes níveis, é a expressão de desequilíbrio psicológico e/ou emocionais inconscientes, sendo a obesidade, não uma doença, mas um sintoma. Também não podemos descartar totalmente a abordagem psicológica/comportamental, a qual vê a hiperfagia (excesso de fome) no obeso como um comportamento aprendido e/ou imitado.
Tratamento: A Hortoclin vem ajudando pessoas com tratamentos a quebrar a progressão no aumento de peso e invertendo o ciclo de ganho para perda progressiva do sobre peso. Com base na Medicina Ortomolecular e em estudos científicos temos aprimorado métodos para tratar o problema da obesidade Exógena ou comum, conhecida como primária ou nutricional que são a grande maioria das ocorrências de obesidade (95% a 97%).
EMAGREÇA! CUIDE DA SUA




segunda-feira, 16 de maio de 2011

Os Olhos: A Luz do Nosso Corpo


Assunto: O Espírito Santo gera novamente no homem o fruto de Deus.
O olho físico, olha somente o exterior do corpo, e muitos julgam o interior pelo que vêem exteriormente. É um grande engano, só tem maldade no ser humano.
Os olhos espirituais do ser humano são a mente, o intelecto, é na mente em que o malígno trabalha, enche com veneno do pecado, deixando o ser humano parecido com ele.
A mente é o que manda nos membros: mãos, pés e língua, é a única porta aberta para o diabo agir é na mente, para poder dominar o resto do corpo, principalmente a língua.
Dúvidas, incertezas, medo, desespero, angústia, tristeza, inferioridade, desconfiança, ciúmes, paixão, lascívias, desamor, ódio, vingança, estes pensamentos geram morte e prostituição contra Deus.
A Palavra de Deus diz: Orar e vigiar para não caírem em tentações…(Mateus.26:41)
Este orar, e este vigiar , são para não pecar contra o Criador e contra o Espírito Santo.
Vigiar a mente, com o olho espiritual, ter controle das emoções e sentimentos, na figura do coração. Ter o domínio contra a mente, o domínio dos sentimentos, os desejos carnais,
(vigiar o coração). Por causa das emoções, muitos caem no engano, da mentira de Satanás.
Ele é corrupto, mentiroso, tenta imitar as coisas de Deus, para enganar o cristão que já é convertido.
Por causa disso, disse Jesus: esperai a promessa de meu Pai.
Para esperar é preciso crer pela fé, confiar na promessa da Sua Palavra, para ser cheio do Espírito Santo. Nosso “CONSELHEIRO”, nosso “AJUDADOR”. Nos dá virtude, nos fortalece e anima.
Forma em nós um caráter de Cristo. Dá sabedoria, inteligência, conselho, fortaleza, conhecimento, e temor do Senhor.
O Espírito Santo dá poder para gerar em nós os seus frutos, O Espírito de Temor do Senhor, Gera o Domínio próprio.
Por que o domínio contra o pecado é o Temor do Senhor?
Porque o nosso corpo é o Templo do Espírito Santo de Deus, este corpo já não é mais nosso, pertence a Jesus Cristo o Salvador e Senhor, que nos comprou e nos libertou.
Nós temos que fazer com que os nossos membros venham obedecer o nosso comando, para não matar, não roubar, não prostituir, fazer coisas que agrada a Deus e que glorifique o Criador.
O Espírito Santo não domina sua mente, você é livre para querer e não querer, o Espírito Santo não vai te amarrar para você não pecar, não vai impedir os teus desejos carnais.
Ele apenas vai te orientar, ensinar, guiar, dirigir os seus passos, animar, fortalecer, mas quem vai fazer é você. Terá que obedecer as suas instruções e ouvir a Sua voz. O Espírito Santo vai te ajudar, e você terá que obedecê-Lo ouvindo a Sua voz.
ISAÍAS: 11
PORQUE brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará (renovo: nova árvore será formada, uma nova plantação, uma nova geração).
E repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o espírito de sabedoria e o espírito de entendimento, o espírito de conselho eo espírito de fortaleza, o espírito de conhecimento o espírito de temor do SENHOR ( a “PLENITUDE” dos sete Espíritos de Deus).
Apoc.1;4—4:5—5:6.
E deleitar-se-á no TEMOR do SENHOR; e não julgará segundo à vista dos seus olhos (olhos físicos), nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos (ouvidos naturais, mas segundo a sua mente espiritual).
Mas, julgará com justiça aos pobres (de espírito, Mateus 5:3), e repreenderá com eqüidade aos mansos da terra;(Mateus.5:5) e ferirá a terra com a vara de sua boca (a Palavra de Deus) e com o sopro dos seus lábios matará ao ímpio,
E a justiça (A Palavra da verdade) será o cinto dos seus lombos,(onde é gerado) a fidelidade o cinto dos seus rins(o rim é o órgão que filtra o sangue e dá vitalidade, ele elimina tudo que não presta do seu corpo). O PECADO da MENTE ( vivifica a alma).
Meu Deus!!! Venha abrir os olhos espirituais do Teu povo.
O Espírito Santo gera em nós o caráter de Cristo para dar frutos.
Se não tivermos os sinais dos frutos do Espírito Santo de Deus em nós, somos inúteis, ocupamos o lugar de outro, estamos prestes a sermos arrancados e lançados fora e sermos queimados no fogo (JOÃO 15: 6).
Jesus está se dirigindo aos discípulos. Aqueles que já são cristãos.
O fruto do Espírito, é mais fácil de entender, mas é muito difícil de obter.
O fruto do Espírito Santo é algo exigido por Deus naturalmente, e não esforçadamente.
O fruto será aquilo que representa a nossa qualidade de vida, porque será o fruto que produzimos, que serão vistos pelo nosso próximo.
Terá o fruto da árvore em que está enraizado (preso). Se é de Cristo vai produzir frutos de Deus, se não for, então não somos filhos d’Ele.
Todos conhecerão que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns pelos outros (João 13:35).
TG 3:12
Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos? Assim, tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce.
O fruto é resultado daquilo que foi plantado em nós, de uma vida convertida em constante comunhão com Deus, na pessoa do Espírito Santo.
O segredo do fruto é estar ligado, preso, permanecer na “Verdadeira Oliveira” que é Jesus, e fazendo d’Ele seu Senhor. Bebendo constantemente da “ceifa”, os nutrientes da árvore da vida, a mesma qualidade de vida e frutos naturais de Filhos de Deus.
A vida de Jesus correrá nas nossas veias, e o resultado são os frutos que nascerão de ti naturalmente, para alimentar outros, e mais outros, formando assim um povo inteiramente para Deus.
Se alguém pretende colher os frutos. Tem que primeiro comer o frutos da “Árvore da Vida” cujo Verbo é Deus (Semente de Deus) em nós, ( plantar o caráter de Deus).
Quando gerada a Palavra de Deus em nós, teremos em nós o Próprio Cristo, andando com nossos pés, falando com nossa boca, fazendo as mesmas obras que Ele fez.
É Cristo vivendo em nós.
Nós somos o Seu corpo, templo do Espírito Santo, morada de Deus em nós.
Somos imagem e semelhança d’Ele.
Os nove frutos do Espírito Santo: Amor, alegria, paz, longaminidade, bondade, felicidade, mansidão, e domínio próprio (domínio sobre a carne). (Gálatas.5:22,23)
Os nove frutos são representados em um só fruto, o “AMOR” ao próximo.
Jamais uma pessoa sente alegria, paz, bondade, felicidade etc… se não houver amor.
Não é este amor que o mundo nos oferece, que logo se acaba, Não!!!
É o amor maior, o amor de Deus, que é capaz de entregar a própria vida por este amor, sem esperar nada em troca, sem merecimento algum.
Porque nós estávamos em pecado de adultério, servíamos um outro deus, o deus deste mundo condenados a morte eterna.
Mas, Deus com seu amor imensurável, maravilhoso, nos convida para abrir o nosso coração. Ele é tão amoroso que respeita o nosso livre arbítrio e espera gentilmente, que nós venhamos abrir a nossa alma para recebê-Lo, para que Ele entre e faça morada para sempre em nós.
O que você está esperando!!! Abra já o seu coração e receba-O como Senhor e Salvador da sua vida para dar o fruto desse AMOR!!!
Amém! Que Deus abençoe a todos!

No dicionário Aurélio, achamos a definição de olho como “Órgão da visão. / Olhar, percepção operada pelo olho. / Fig. Atenção, cuidado, perspicácia. / Indício de qualidades, defeitos e sentimentos: olho duro, mau, espiritual. / O que distingue, o que esclarece; luz, brilho: olhos do espírito; o olho da alma. / Buraco ou poro de queijo e de certas massas. / Abertura circular ou oval de um prédio. / Botão ou rebento das plantas. / Aro de ferramentas por onde se enfia o cabo. / Furo em certos objetos por onde se enfiam linhas ou fios. / Tipografia Relevo dos caracteres que são impressos. / Buraco numa peça mecânica para a passagem ou a articulação de outra peça.” Vemos que o próprio dicionário tem vários significações para a palavra olho desde sentidos reais/ físicos à sentidos figurados.
Na Sagrada Escritura Jesus nos diz assim: “O olho é a luz do corpo. Se teu olho é são, todo o teu corpo será iluminado. Se teu olho estiver em mau estado, todo o teu corpo estará nas trevas. Se a luz que está em ti são trevas, quão espessas deverão ser as trevas!” (Mt 6,22-23)
Neste trecho Jesus está falando não do olho físico, porque se fosse isso como seria para uma pessoa portadora de deficiência visual? Jesus está se referindo aos olhos, no sentido do entendimento, da maneira como enxergamos a vida. Se a maneira como enxergamos a vida for distorcida, certamente teremos problemas. Jesus fala sobre olhos bons e maus. A maneira como percebemos a vida, como vemos o próximo, como vemos Deus e nós mesmos é que vai determinar, de modo bastante incisivo, a nossa vitória ou a nossa derrota.
São Paulo também escreve: “Rogo ao Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê um espírito de sabedoria que vos revele o conhecimento dele; que ilumine os olhos do vosso coração, para que compreendais a que esperança fostes chamados, quão rica e gloriosa é a herança que ele reserva aos santos, e qual a suprema grandeza de seu poder para conosco, que abraçamos a fé.” (Ef 1,17-19)
O nosso coração é a sede da nossa vontade, do nosso intelecto, das nossas emoções. Os nossos olhos, aos quais se referiam o Senhor Jesus, estão no nosso interior. Os nossos olhos, aqui, são na verdade o nosso coração. E nosso coração precisa perceber, ver e ir até onde o Senhor está.
Precisamos seguir o conselho da carta aos Romanos : “Vivei em boa harmonia uns com os outros. Não vos deixeis levar pelo gosto das grandezas; afeiçoai-vos com as coisa modestas. Não sejais sábios aos vossos próprios olhos.” (Rm 12,16) Não é o nosso próprio olhar, nosso próprio coração que nos fará sábio em nosso caminhada, mas sim o olhar de Cristo em nós e por nós.
A Sagrada Escritura narra que os discípulos a caminho de Emaús não reconheceram o Senhor, pois seus “olhos estavam-lhes como que vendados e não o reconheceram.”(Lc 24, 16) ou seja, os olhos dos dois discípulos estavam confusos, embaraçados e por isso não conseguiam ver, distinguir que quem caminhava com eles era Jesus.
Muitas vezes, precisamos que o próprio Senhor venha e abra nossos olhos, pois por medo e insegurança não acreditamos e confiamos que estamos com ele.
“Embora tivesse feito tantos milagres na presença deles, não acreditavam nele. Assim se cumpria o oráculo do profeta Isaías: Senhor, quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor (Is 53,1)? Aliás, não podiam crer, porque outra vez disse Isaías: Ele cegou-lhes os olhos, endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos nem entendam com o coração e se convertam e eu os sare (Is 6,10). Assim se exprimiu Isaías, quando teve a visão de sua glória e dele falou. Não obstante, também muitos dos chefes creram nele, mas por causa dos fariseus não o manifestavam, para não serem expulsos da sinagoga.” (J0 12,37-42)
Às vezes somos como alguns chefes da sinagoga, até acreditamos, mas não tomamos a atitude de seguir esta visão, este rumo para nossa vida.
Estamos com a luz de nosso corpo falha, mas o próprio Senhor nos dá o remédio para sararmos esta falta de visão: “Aconselho-te que compres de mim ouro provado ao fogo, para ficares rico; roupas alvas para te vestires, a fim de que não apareça a vergonha de tua nudez; e um colírio para ungir os olhos, de modo que possas ver claro.”(Ap 3,18)
Senhor, queremos teu colírio para melhor enxergar, para melhor iluminar nosso caminho. Senhor restaura nossa visão, nossos olhos. Ensina-nos a termos uma perfeita luz do corpo.

sábado, 14 de maio de 2011

Sem Jesus nada podemos.




Aprenda a andar sobre as água com JESUS





Os templos religiosos normalmente são ambientes agradáveis, que transmitem calma e segurança, proporcionando bem-estar e serenidade a seus frequentadores, que costumam buscar nesses locais um descanso para suas almas sobrecarregadas com mágoas, dores, angústias ou simplesmente um inexplicável vazio no peito. O maior problema, no entanto, é que muitos, ao saírem daquele ambiente espiritual, voltam a ser atormentados pela dura realidade de suas vidas. Mas por que isso acontece? O Senhor Jesus disse: "...sem mim nada podeis fazer" (João 15:5). Em outras palavras, não adianta buscarmos a Deus apenas na igreja... É necessário estarmos em sintonia com Ele a todo momento, em qualquer lugar por onde andarmos. Saul e os demais soldados do exército de Israel eram homens experientes em guerra, possuíam armas e, portanto, estavam materialmente preparados para enfrentar o gigante Goleias. Contudo, espiritualmente encontravam-se despidos, em razão do medo que estavam sentindo daquele homem que os afrontava. Todavia, Davi, que era apenas um garoto franzino, trazia consigo a mais poderosa de todas as armas: a sua fé, ou seja, a certeza de que aquele gigante seria derrubado. (Confira em 1 Samuel 17:1-51) Aquela certeza era o Espírito Santo, o próprio Deus vivo no interior de Davi. Por isso, o apóstolo Paulo disse: "Tudo posso naquele que me fortalece" (Vide Filipenses 4:13). Quer dizer, a pessoa só encontra verdadeiramente a paz, o sossego e a segurança, quando recebe o Espírito Santo. Vale ressaltar que, independente de crença ou religião, todos nós estamos sujeitos aos chamados "ventos contrários", ou seja, obstáculos e adversidades que surgem com o objetivo de dificultar ou impedir que alcancemos os nossos objetivos. Todavia, a partir do momento em que recebemos o Espírito de Deus, passamos a ter forças para resistir ao "vento" e lutar contra ele, confiando, não na nossa própria capacidade ou com a ajuda de terceiros, mas, sim, no que passou a habitar o nosso interior e que é muito maior que qualquer ventania. Analisemos esta passagem bíblica: "Na quarta vigília da noite, foi Jesus ter com eles, andando por sobre o mar. E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram. Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais! Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus" (Mateus 14:25-30) Note que os discípulos ficaram assustados e com medo ao serem surpreendidos com a visão de um homem andando por sobre as águas. A exemplo dos "ventos contrários", as águas mencionadas no texto representam os problemas que enfrentamos no nosso dia-a-dia. Da mesma forma que aqueles homens, temos a tendência de reagir com espanto e receio diante de fatos inesperados ou desagradáveis. No início, os discípulos não reconheceram o Senhor Jesus e, mesmo depois de Ele ter se identificado, Pedro duvidou. Jesus, então, pediu a Pedro que fosse ao seu encontro, caminhando por sobre as águas e ele obedeceu. Em outras palavras, o Senhor Jesus se apresenta através do Espírito Santo para que nós possamos, ao encontrá-Lo, andar por sobre as águas, ou seja, superar todos os nossos problemas. Por isso, amigo leitor, se você parece ter perdido o controle da situação e sente-se como se estivesse sendo "afogado" por seus problemas, saiba que pode estar faltando Jesus na sua vida. A partir do momento em que reconhecemos que precisamos de Jesus, como fez Pedro ao gritar "Salva-me, Senhor!", Ele nos estende a mão e nos salva, pois quem tem o Senhor Jesus jamais naufraga ou se afoga.
Vida e Paz!!
Colheita

terça-feira, 10 de maio de 2011

RACIONALISMO CRISTÃO - 1





A ARTE DE VIVER

Viver é uma arte que nem todos sabem cultivar. Há muita gente que pensa que vive, mas não vive, vegeta, ou pior ainda, não tem noção alguma do que seja viver. A criatura que sabe viver traça, planeja aquilo que melhor lhe convém e caminha confiante em si mesma, sem esperar dos outros senão o razoável, porque, se exigir um pouco mais, passa por decepções. Logo, só confiante em si próprio o homem pode vencer na luta.


A própria família é muitas vezes um ponto de interrogação, talvez doloroso, mas não deixa de ser um ponto de interrogação, porque, se a família tivesse a noção exata dos seus deveres de família, nela não haveria desinteligências, desentendimentos, todos se compreenderiam, todos se tolerariam, todos seriam amigos; mas, infelizmente, assim não é e, se entre aqueles que dizem "o sangue é sangue" e "o sangue puxa", não existe a verdadeira compreensão, muito menos se pode esperar dos estranhos, de criaturas completamente diferentes em educação.


Viver, pois, é uma arte que todos devem procurar cultivar com inteligência. As criaturas são como são, ninguém as modifica, porque os espíritos, quando vêm encarnar, são todos diferentes, de categorias diversas, não podendo, portanto, ser aquilo que muita gente julga, pois cada um traz a sua bagagem espiritual e, de acordo com essa bagagem, desempenha o seu papel na Terra.
Afinidade espiritual há muito pouca e às vezes essa afinidade existe entre criaturas estranhas e bem distantes. Portanto, deve o ser contar somente consigo, caminhar de acordo com a sua consciência, formar a sua personalidade moral, e, tendo essa personalidade, terá vigor espiritual, saberá, enfim, viver.


Há muita gente que julga que para ser feliz na Terra basta possuir fortuna, conforto e bem-estar; há muita gente até que ambiciona o que é dos outros, porque julga que esses outros são mais felizes. Enganam-se. O que faz a felicidade não é o dinheiro, não é o conforto, não é o luxo, nem o bem-estar; o que faz a felicidade é a compreensão mútua dos seres, o entendimento, a compreensão exata da vida, a maneira como a criatura encara essa vida, para não ter desilusões, para não sofrer abalos morais.


O dinheiro e a fortuna muitas vezes até concorrem para a desinquietação, para o desassossego daqueles que isso possuem. A felicidade está na consciência do dever cumprido, na serenidade espiritual que todo espírito equilibrado pode gozar. O dinheiro ganha-se e vai-se embora; o dinheiro, muitas vezes, concorre para chamar sobre si o despeito, a inveja, criaturas pouco escrupulosas, que não querem saber que aqueles que hoje possuem fortuna trabalharam, se esforçaram e muitas vezes sofreram até privações para conseguirem possuir o que hoje possuem.


A criatura que sabe viver, que trabalha honestamente e que cria em volta de si um ambiente de paz e tranqüilidade, goza saúde, é feliz, porque a felicidade consiste na paz de espírito e na saúde do corpo. Quem tem saúde e paz de espírito é feliz, porque pode produzir, porque pensa bem, porque terá sempre um ambiente de paz e tranqüilidade, e, sabendo viver, todas as criaturas podem ser felizes, viver de acordo com as suas posses, trabalhando, porque o trabalho distrai o espírito, e aquilo que se consegue pelo trabalho honesto tem um valor considerável. Trabalhando e lutando, sim, porque a vida é a luta destinada ao ser humano na Terra, e todos aqueles que trabalham, produzem, gozam de paz espiritual.


Trabalhando, lutando, vivendo em paz, tendo sua consciência tranqüila, todos poderão ser felizes. Não há, portanto, motivo para invejar a fortuna ou o dinheiro de quem quer que seja. Todos, com muito ou pouco, podem ser felizes, porque a pobreza só atormenta aqueles que são falhos de raciocínio. Quem tem saúde e trabalha nunca será pobre, terá sempre o necessário para as suas necessidades. Saiba, portanto, a criatura viver, porque sabendo viver, ela gozará da paz de espírito, terá tranqüilidade íntima e saúde do corpo. Isso é que constitui, enfim, a verdadeira felicidade.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Atitudes que produzem o bem com a graça de Jesus




REFLEXÕES

Hoje te levaremos a refletir sobre a importância que dás aos bens transitórios e o respectivo jugo que eles exercem sobre ti, envolvendo teu espírito em preocupações desnecessárias e medos injustificáveis.

Mergulhados em vibrações de fé e amor ao próximo, não podemos esquecer dos compromissos materiais, já que muitos são responsáveis pelo sustento próprio e da família. Não desejamos menosprezar o trabalho, que também faz parte do crescimento espiritual de cada um.

No entanto, reflitamos sobre nossas preocupações, desejos, ansiedades e angústias.

Todos esses sentimentos estão vinculados à Preocupação de se obter algo, pelo apego a algum tipo de sentimento ou bem material.

Dizia-nos Jesus que o homem preocupado não faz crescer nem um cúbito na sua altura, ou seja, nada adianta a preocupação, a angústia ou a ansiedade gerada pelo nosso apego sem limites.

A advertência de Jesus tem um propósito, qual seja, a harmonia das emoções, que conforme se torna uma constante na vida do espírito encarnado, permite receber as influências espirituais superiores, que levam ao seu amadurecimento, chegando até a plenitude espiritual.

Para que o espírito tenha paz é necessário que ele se livre do peso dos atrativos materiais, sejam eles de ordem financeira, emocional ou até relativos ao poder.

O viajante consciente consegue ver a transitoriedade dos prazeres terrenos e por isso utiliza o mundo físico para seu benefício, sem se preocupar com a sua duração ou o seu futuro. Ele sabe que tudo é uma ilusão! É um ciclo de Criação, Manutenção e Destruição.

Já paraste para pensar que se tivesses menos, gastasses menos, não fosses tão exigente com tantas coisas, poderias deixar de te preocupar e trabalhar tanto, dedicando mais tempo a Deus, à família ou às atividades que te geram alegrias na alma?

Jesus nos chama para viver o Hoje!!! Se harmonizar Hoje!! Buscar o seu reino de Paz e Felicidade HOJE!! Porque não sabemos o que será de amanhã, pois no próximo dia poderá ser a hora do teu retorno a pátria espiritual. Já meditou se irás em paz?

Não podemos garantir nada para o futuro, a não ser as doenças geradas pelo excesso de preocupação.

Conquistar os tesouros celestes deve ser nossa grande meta, e, por isso, devemos buscar cada vez mais a liberdade dos que andam de consciência livre e pura.

É possível distinguir na face e nos olhos um homem integrado com Deus que anda na rua.
Andar suave, olhos profundamente amorosos, coração voltado para sentimentos puros, um ar suave, um sorriso no rosto, uma aura de paz, qualquer um que chega perto sente essa paz e ele... Ele se sente livre, como se cada passo fosse não só dele, mas do Cristo de Deus, que habita o seu coração e faz de cada ato e palavra uma expressão divina.

Pratica durante uma semana a experiência mencionada abaixo e comprove tua mudança.

Procura não te preocupares com nada, não olhes para trás para te culpar pelo que fez de errado ou quando te omitiste em fazer o bem, não busques explicar pelo erro ou ficar matutando o erro do próximo para ter motivos para odiá-lo.

Simplesmente viva o hoje, olhe para o céu, admire as nuvens, as flores, o sol, os pássaros.

Até o vai e vêm das pessoas nas ruas pode ser relaxante se tu olhares com os olhos do coração, buscando em nada pensar. Muitas vezes uma sensação amorosa se espalhará por todo o teu corpo, trazendo uma paz que não consegues entender, nesse momento começas a sentir a presença de Deus dentro de ti.
Nesse momento também entenderás que a Paz que tanto buscaste está aí, dentro do
teu coração, e que pequenos atos, pequenas mudanças, podem fazer com que alcances a felicidade que muitas vezes achaste não existir.

Depois de algum tempo assim, quando estiveres andando e notando que tua mente se encontra livre, volta-te para ti mesmo. Veja se não te sentes mais leve, se o teu andar não parece mais suave, olha ao redor de ti e sinta-te mais próximo das energias celestes.

Repare que o peso que parecia levar nos teus ombros some. Uma nova força envolve teu coração de ternura, sentimentos nobres e de impulsos para o bem.

Repare se o cansaço que muitas vezes te consumia não se transforma em energias estimulantes para criatividade ou atividades edificantes.

Depois dessa experiência poderás comprovar que Deus te destina a felicidade e que ela está a tua volta, muito, muito perto!!

E que nós, por egoísmo e apego, fechamos nossos olhos para os tesouros celestes que Deus nos destinou!

O mundo de ilusão, também conhecido como Maya pelos hindus, te chama incessantemente através das preocupações de ordem material, e as pessoas vivem se remoendo em seus próprios dramas, ao invés de buscar a paz.

A personalidade, cristalizada por várias vidas nossas dedicadas aos prazeres e bens materiais, nos puxa, buscando de todas as formas nos aprisionar, e o homem fica com medo, pavor de ser diferente, de buscar o que não conhece, de se satisfazer com pouco, de se libertar !!!

Liberta-te!!!!

Esse é o pedido de Jesus quando nos fala sobre preocupação.

De hoje em diante, busca seguir a indicação do Mestre quando nos disse "Orai e Vigiai".

Vigia-te, comprometendo-te a viver cada dia intensamente, fazendo as coisas que mais gostas, buscando viver cada momento de forma única, com o coração entregue aos mais altos sentimentos de paz e amor pela humanidade.

Assim, transformar-te-ás em uma fonte de luz para o próximo, servindo de ponto de apoio para a transição espiritual de nosso querido planeta.


Falange de São Francisco de Assis

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Felicidade a todo instante








Acorde e seja feliz;

Sorria e seja feliz;
Cante e seja feliz;
Diga sim e seja feliz;
Doe e seja feliz;
Perdoe e seja feliz;
Não minta e seja feliz;
Não jugues e seja feliz;
Ouça mais e seja feliz;
Fale menos e seja feliz;
Ame e seja feliz:
Durma e seja feliz:

Jaime Brito

Poemas

"Existe uma jóia em um lugar bem distante;
Sua lapidação tem cortes tão brilhantes;
Seu brilho iluminou-me por um instante;

Seu valor é imensurável;
Sua aquisição é desejável;
Peguei-a com minhas mãos;
Enchi-me de emoção;

Minha mente está aguçada;
Só penso nesta jóia rara;
Ela não sai dos meus pensamentos;
Mexeu com meus sentimentos;

Nunca senti tanto desejo;
De possuir com esmero;
Algo de tanto valor"

Aut: Jaime Brito

"Quero em todo o momento presente pensar;
Que jamais no futuro ela não estará;
Cultivo a planta que um dia foi semente;
Com águas puras e cristalinas vou irrigar;
Para que esta planta cresça derrepente;
E que brevemente possa frutificar"

Aut: Jaime Brito

Eu sei que acordei de um sonho;
Pensei até que fosse real;
Vivi poucos e grandes momentos;
Os melhores que já sonhei;

Acordei!

De repente percebi o que acontecera foi real;
Esta realidade profunda que envolve toda minha vida, meu ser e os meus sentimentos, pegou-me de surpresa.

Eu desejaria continuar a sonhar este mesmo sonho, para que eu pudesse mudar o desfecho, tudo seria diferente e nunca mais querer acordar.

Aut: Jaime Brito



"A tua ausência me consome;
Tenho necessidade de você;
Mas é assim... Tenho que conter!
Não dar pra comer sem sentir fome;
Por isso vou alimentando esse desejo;
Pra manter viva a esperança;
Desta etapa da vida vencer"

Aut: Jaime Brito

A planta pra crescer precisa de Sol, Água e Sombra, se souber cuidá-la na dosagem certa, então verais os seus frutos.


"Nada pode ser decidido tempestivamente.
A casa construída na areia cai.
È necessário preparar o terreno;
E construí-la em base sólida;
Assim poderemos habitá-la com segurança"

Aut: Jaime Brito


“O barulho do silêncio me ensurdece;
Ouço gritos de desejos incessantes;
Não paro de pensar nem um instante;
Fecho os olhos e escurece;
Vejo o filme passando novamente;
Senas fortes e exuberantes;
Faz de mim feliz amante”

Aut: Jaime Brito

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Pastores ou mercenários?









“O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então, o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado com as ovelhas.” João 10.12, 13

Minha infância foi marcada por uma grande estabilidade no ministério pastoral da igreja que participo até hoje. Meu pai, que é um ancião, sempre lembra que teve somente dois pastores ao longo de sua vida. Essa permanência tem muitas vantagens ao pastor e às ovelhas.

Para as ovelhas, o pastor torna-se uma referência de amizade em qualquer tempo. O relacionamento é mais amplo e alcança mais de uma geração. Elas podem ser acompanhadas desde o nascimento de um filho até a perda de um ente querido, passando pelos eventos de casamento, comemorações e muitos desafios ao longo da vida. As histórias não foram simplesmente relatadas por uma das partes, mas vivenciadas em conjunto. As ovelhas realmente passam a conhecer a voz do seu líder pastor.

Para o pastor, as ovelhas não são um rebanho estranho e imprevisível. A direção de Deus para seu rebanho pode ser aplicada sem pressa e sem pressão, pois não está com as malas prontas para ir cuidar de outro aprisco. O tempo também revela com mais precisão o caráter das pessoas que cuida. Aquela aparente santidade não é mascarada ao longo de muitos anos. Por outro lado, o semblante carrancudo não assusta mais, pois os anos mostraram um coração capaz de atos de justiça e piedade. O pastor realmente passa a conhecer a voz de suas ovelhas nos detalhes da tonalidade.

Mas é claro que nem tudo são flores. Os muitos anos no mesmo lugar podem acomodar ambos os lados e transformar tudo em uma relação superficial e sem efeito. Mesmo correndo o risco desse tipo de problema, é melhor que o atual modelo que vemos nas igrejas. Na maioria das igrejas um pastor não fica mais do que três anos, o que impossibilita conhecer em profundidade as ovelhas e desenvolver um relacionamento sadio.

Mas o que mais me incomoda é a facilidade com que os pastores deixam seu rebanho em busca de alguma outra atividade que os satisfaça. A dificuldade de um pastor deixar seu rebanho deveria ser a mesma de um pai deixar sua casa. Mas parece que os vínculos do amor e de uma vida de aliança não têm se enraizado. Quer seja da parte do pastor, ou das ovelhas, a conexão relacional não tem ultrapassado tapas nas costas, diálogos que não se aprofundam, interesses que não alcançaram o nível de altruísmo.

Certamente um dos motivos é a perda da força da vocação ministerial. Outras demandas ocupam e desesperam o pastor. Seus números não aparecem como do pregador eletrônico, suas finanças não suprem as necessidades da família, suas expectativas ficam frustradas por não se tornar conhecido e reconhecido. Qualquer que tenha sido o motivo desse desvio de rota, minha palavra é que se volte ao primeiro amor do chamamento ao ministério pastoral e mantenha nutrido o sonho e alegria de fazer tudo como que ao Senhor.

Erram os líderes da igreja local que trocam de pastores como se troca de roupa. Afinal, estão em busca de um pastor ou de um mercenário? Erram os pastores que mudam de igreja como que descontentes em busca de algo melhor. Afinal, são pastores ou mercenários levados pela melhor oferta?

Autor: Rodolfo Garcia Montosa
Fonte: http://www.institutojetro.com

O importante é saber conduzir o povo segundo o coração de Deus







Por uma liderança eficaz: se for preciso, mude os métodos!
Êxodo 18:1-27

O povo de Israel tinha acabado de sair do Egito. Moisés aconselhava o povo desde o amanhecer até o anoitecer. Numa atividade exaustiva tanto para ele como para o povo que buscava uma orientação. Devido a grande procura, a maioria saía sem conseguir falar com ele. Apesar de ser um homem de Deus, Moisés não estava conseguindo enxergar o seu erro. Precisou que seu sogro Jetro aparecesse para lhe chamar a atenção e assim mudar o método de liderança que estava utilizando para aconselhar o povo. Baseado neste episódio da vida de Moises queremos refletir alguns pontos importantes para uma liderança eficaz junto ao povo de Deus.

1. A Repetição de métodos antigos e ortodoxos não significa necessariamente que estamos no caminho certo.
O tempo e as pessoas mudam, sendo necessário à utilização de novos métodos e recursos que venham a levar o povo a uma direção segura. Moisés usava o método patriarcal em que toda a decisão passava pelo chefe do clã. Ele não se deu conta que eles já não eram uma pequena família , mas sim uma grande família. Portanto, o método patriarcal era por si só ineficiente para atender a todos.

2. A centralização do poder só sobrecarrega o líder, e mostra que ele não tem confiança nos seus liderados ou vê que ninguém é capaz de ajudá-lo.
Esta centralização é fruto do sistema patriarcal , tinha a sua razão de existir antes,
agora não. Ela pode gerar não só sobrecarga, mas também pode levar a uma apatia por parte do grupo. Conseqüentemente matará toda e vontade de liderança e serviço do povo. Um velho ditado é válido para os nossos dias: “Só se aprende fazer fazendo”.

3. A forma de trabalho que Moisés estava usando poderia gerar, devido à espera do povo: cansaço, desânimo e frustração.
Com certeza o povo sairia da presença de Moises sem uma decisão. As conseqüências seriam óbvias: desvio de doutrinas, prática imorais e quebra da comunhão com Deus e com o grupo. Portanto, cuidado em não insistir no método que não está trazendo resultados positivos.

4. Um bom líder sabe ouvir.
Esta deve ser uma das características de um grande líder, de um verdadeiro homem de Deus. Isto é fruto da humildade. Moisés soube ouvir os conselhos de seu sogro , por sinal, também era um líder. As experiências dos mais antigos são sempre bem vindas. Imaginemos se Moisés não desse ouvido aos conselhos de seu sogro!

5. Um bom líder é aquele que divide tarefas.
Agindo assim, faz discípulos. O método que empregava Moisés não só matava a liderança natural que existia no grupo como impedia que nossas lideranças surgissem ou fossem formadas.

6. Por menor que seja o nosso grupo de liderança haverá sempre pessoas com capacidade para nos ajudar.
Cremos que esse dom vem de Deus, ele mesmo se encarrega de levantar pessoas idôneas para estar ao nosso lado. Elas nos ajudarão a cumprir a tarefa que nos ordena o Senhor.

7. A grande responsabilidade do líder é fazer com que o rebanho saia alimentado de uma maneira eficaz e satisfatória.
Em certos momentos precisará fazer uso dos recursos tanto materiais como técnicos para atender a todos. Portanto, não se pode virar as costas para a realidade.

Moisés descobriu que o método utilizado não era o melhor. Ainda que as intenções e o propósito eram dar o melhor para o povo. Não temos que ter medo de mudar no meio do caminho quando descobrirmos que o método que estamos utilizando não seja o melhor para o povo. Descobrindo o erro, é melhor mudar do que, por teimosia e prepotência, levar o grupo à ruína.

Autor: Oséias Beppler Penido – http://www.institutojetro.com

.Liderança, Métodos



Jesus é o caminho


Jesus em cada livro do Antigo Testamento
27/08/10
Escrito por Estudos em #Todos os Estudos
1 comentário
.Em João 1.1-4 e 14 lemos a respeito dEle: “No princípio era o Verbo (a Palavra), e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. A vida estava nele e a vida era a luz dos homens… E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.” Por isso encontramos o Filho de Deus já no Antigo Testamento:
Jesus em cada livro do Antigo Testamento
Em Gênesis, Ele é chamado de “semente da mulher”.
Em Êxodo, Ele é o cordeiro pascal.
Em Levítico, Ele é apresentado como sumo sacerdote.
Em Números, Ele é a coluna de nuvem de dia e a coluna de fogo à noite.
Em Deuteronômio, Moisés fala dEle como sendo profeta.
Em Josué, Ele é o líder da nossa salvação.
Em Juízes, Ele aparece como nosso juiz e legislador.
Em Rute, Ele é resgatador.
Em 1 e 2 Samuel vemos a Jesus como nosso verdadeiro profeta.
Em Reis e Crônicas, Ele é o nosso Senhor Soberano.
Em Esdras, Ele aparece como o homem que restaura os muros caídos de nossa existência humana.
Em Neemias, vemos o Senhor como nossa força.
Em Ester, Ele é o nosso Mordecai.
Em Jó, Ele é chamado de nosso Salvador eternamente vivo.
Nos Salmos, Ele é nosso bom pastor.
Em Provérbios e Eclesiastes, Ele brilha como nossa sabedoria.
Em Cantares, Ele é o noivo que nos ama.
Em Isaías, Ele é chamado de “Príncipe da paz”.
Em Jeremias, Ele aparece como o “renovo de justiça”.
Em Lamentações, Ele é nosso profeta que chora.
Em Ezequiel, Ele nos é apresentado como o homem maravilhoso “com quatro rostos”.
Em Daniel, Ele é o quarto homem na fornalha ardente.
Em Oséias, Ele aparece como o marido fiel, que é casado com uma infiel (Israel).
Em Joel, Ele é o que batiza com o Espírito Santo e com fogo.
Em Amós vemos Jesus como aquele que carrega nossos fardos.
Em Obadias, Ele é poderoso para salvar.
Em Jonas, Ele está diante de nós como o grande missionário para os gentios.
Em Miquéias, Ele é o Deus encarnado (Mq 5.1).
Em Naum, Ele é mencionado como o juiz escolhido por Deus.
Em Habacuque, Ele é o evangelista de Deus que clama: “Aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos” (Hc 3.2).
Em Sofonias, Ele se manifesta como nosso Salvador.
Em Ageu, Ele é o restaurador da herança de Deus perdida.
Em Zacarias, Ele é apresentado como a fonte aberta da casa de Davi que purifica os pecados e as impurezas.
Em Malaquias, Ele se mostra como o “sol da justiça” com a “salvação nas suas asas” (Ml 4.2).


http://www.ajesus.com.br/mensagens/revelacaodejesus.shtml


.A.T, Curiosidades Bíblicas, Jesus

terça-feira, 3 de maio de 2011

Mente aberta




O povo precisa está unido em mente, corpo e espírito, para conquistar seus direitos e objetivos.


Um país se mede pela educação do seu povo.

Educação de qualidade para todos. É a única chance que os mais pobres tem para competir de igual para igual no meio acadêmico!

Projeto obriga políticos a matricularem seus filhos em escolas públicas.
Uma idéia muito boa do Senador Cristovam Buarque.

Ele apresentou um projeto de lei propondo que todo político eleito
(vereador, prefeito, Deputado, etc.) seja obrigado a colocar os filhos na
escola pública.

As conseqüências seriam as melhores possíveis.

Quando os políticos se virem obrigados a colocar seus filhos na escola
pública, a qualidade do ensino no país irá melhorar. E todos sabem das
implicações decorrentes do ensino público que temos no Brasil.

SE VOCÊ CONCORDA COM A IDÉIA DO SENADOR, DIVULGUE ESSA MENSAGEM.

Ela pode, realmente, mudar a realidade do nosso país.
O projeto PASSARÁ, SE HOUVER A PRESSÃO DA OPINIÃO PÚBLICA.

http://www.senado.gov.br/sf/atividade/Materia/detalhes.asp?p_cod_mate=82166

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 480, DE 2007

Determina a obrigatoriedade de os agentes públicos eleitos matricularem seus
filhos e demais dependentes em escolas públicas até 2014.

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº , DE 2007

PLS – PROJETO DE LEI DO SENADO, Nº 480 de 2007

Determina a obrigatoriedade de os agentes públicos eleitos matricularem seus
filhos e demais dependentes em escolas públicas até 2014.

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Art. 1º
Os agentes públicos eleitos para os Poderes Executivo e Legislativo
federais, estaduais, municipais e do Distrito Federal são obrigados a
matricular seus filhos e demais dependentes em escolas públicas de educação
básica.

Art. 2º
Esta Lei deverá estar em vigor em todo o Brasil até, no máximo, 1º de
janeiro de 2014.

Parágrafo Único. As Câmaras de Vereadores e Assembléias Legislativas
Estaduais poderão antecipar este prazo para suas unidades respectivas.

JUSTIFICAÇÃO
No Brasil, os filhos dos dirigentes políticos estudam a educação básica em
escolas privadas. Isto mostra, em primeiro lugar, a má qualidade da escola
pública brasileira, e, em segundo lugar, o descaso dos dirigentes para com o
ensino público. Talvez não haja maior prova do desapreço para com a educação
das crianças do povo, do que ter os filhos dos dirigentes brasileiros, salvo
raras exceções, estudando em escolas privadas. Esta é uma forma de corrupção
discreta da elite dirigente que, ao invés de resolver os problemas
nacionais, busca proteger-se contra as tragédias do povo, criando
privilégios. Além de deixarem as escolas públicas abandonadas, ao se
ampararem nas escolas privadas, as autoridades brasileiras criaram a
possibilidade de se beneficiarem de descontos no Imposto de Renda para
financiar os custos da educação privada de seus filhos.
Pode-se estimar que os 64.810 ocupantes de cargos eleitorais – vereadores,
prefeitos e vice-prefeitos, deputados estaduais, federais, senadores e seus
suplentes, governadores e vice-governadores, Presidente e Vice-Presidente da
República – deduzam um valor total de mais de 150 milhões de reais nas suas
respectivas declarações de imposto de renda, com o fim de financiar a escola
privada de seus filhos alcançando a dedução de R$ 2.373,84 inclusive no
exterior. Considerando apenas um dependente por ocupante de
cargo eleitoras. O presente Projeto de Lei permitirá que se alcance, entre
outros, os seguintes objetivos:

a) ético: comprometerá o representante do povo com a escola que atende ao
povo;
b) político: certamente provocará um maior interesse das autoridades para
com a educação pública com a conseqüente melhoria da qualidade dessas
escolas.
c) financeiro: evitará a “evasão legal” de mais de 12 milhões de reais por
mês, o que aumentaria a disponibilidade de recursos fiscais à disposição do
setor público, inclusive para a
educação;
d) estratégica: os governantes sentirão diretamente a urgência de, em sete
anos, desenvolver a qualidade da educação pública no Brasil.

Se esta proposta tivesse sido adotada no momento da Proclamação da
República, como um gesto republicano, a realidade social brasileira seria
hoje completamente diferente. Entretanto, a tradição de 118 anos de uma
República que separa as massas e a elite, uma sem direitos e a outra com
privilégios, não permite a implementação imediata desta decisão.
Ficou escolhido por isto o ano de 2014, quando a República estará 2
completando 125 anos de sua proclamação. É um prazo muito longo desde 1889, mas
suficiente para que as escolas públicas brasileiras tenham a qualidade que a
elite dirigente exige para a escola de seus filhos. Seria injustificado,
depois de tanto tempo, que o Brasil ainda tivesse duas educações – uma para os filhos de seus dirigentes e outra para os filhos do povo -, como nos mais antigos sistemas monárquicos, onde a
educação era reservada para os nobres. Diante do exposto, solicitamos o
apoio dos ilustres colegas para a aprovação deste projeto.

Sala das Sessões,

Senador CRISTOVAM BUARQUE

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Pobres vivem a margens da sociedade e são manipulados









A maioria da população é pobre e continuarão sendo para os interesses de poucos afortunados e políticos corruptos



Desigualdade social





A pobreza é um problema que afeta a maioria dos países.

A desigualdade social e a pobreza são problemas sociais que afetam a maioria dos países na atualidade. A pobreza existe em todos os países, pobres ou ricos, mas a desigualdade social é um fenômeno que ocorre principalmente em países não desenvolvidos.

O conceito de desigualdade social é um guarda-chuva que compreende diversos tipos de desigualdades, desde desigualdade de oportunidade, resultado, etc., até desigualdade de escolaridade, de renda, de gênero, etc. De modo geral, a desigualdade econômica – a mais conhecida – é chamada imprecisamente de desigualdade social, dada pela distribuição desigual de renda. No Brasil, a desigualdade social tem sido um cartão de visita para o mundo, pois é um dos países mais desiguais. Segundo dados da ONU, em 2005 o Brasil era a 8º nação mais desigual do mundo. O índice Gini, que mede a desigualdade de renda, divulgou em 2009 que a do Brasil caiu de 0,58 para 0,52 (quanto mais próximo de 1, maior a desigualdade), porém esta ainda é gritante.

Alguns dos pesquisadores que estudam a desigualdade social brasileira atribuem, em parte, a persistente desigualdade brasileira a fatores que remontam ao Brasil colônia, pré-1930 – a máquina midiática, em especial a televisiva, produz e reproduz a ideia da desigualdade, creditando o “pecado original” como fator primordial desse flagelo social e assim, por extensão, o senso comum “compra” essa ideia já formatada –, ao afirmar que são três os “pilares coloniais” que apoiam a desigualdade: a influência ibérica, os padrões de títulos de posse de latifúndios e a escravidão. É evidente que essas variáveis contribuíram intensamente para que a desigualdade brasileira permanecesse por séculos em patamares inaceitáveis.

Todavia, a desigualdade social no Brasil tem sido percebida nas últimas décadas, não como herança pré-moderna, mas sim como decorrência do efetivo processo de modernização que tomou o país a partir do início do século XIX.
Junto com o próprio desenvolvimento econômico, cresceu também a miséria, as disparidades sociais – educação, renda, saúde, etc. – a flagrante concentração de renda, o desemprego, a fome que atinge milhões de brasileiros, a desnutrição, a mortalidade infantil, a baixa escolaridade, a violência. Essas são expressões do grau a que chegaram as desigualdades sociais no Brasil.

Segundo Rousseau, a desigualdade tende a se acumular. Os que vêm de família modesta têm, em média, menos probabilidade de obter um nível alto de instrução. Os que possuem baixo nível de escolaridade têm menos probabilidade de chegar a um status social elevado, de exercer profissão de prestígio e ser bem remunerado. É verdade que as desigualdades sociais são em grande parte geradas pelo jogo do mercado e do capital, assim como é também verdade que o sistema político intervém de diversas maneiras, às vezes mais, às vezes menos, para regular, regulamentar e corrigir o funcionamento dos mercados em que se formam as remunerações materiais e simbólicas.

Observa-se que o combate à desigualdade deixou de ser responsabilidade nacional e sofre a regulação de instituições multilaterais, como o Banco Mundial. Conforme argumenta a socióloga Amélia Cohn, a partir dessa ideia “se inventou a teoria do capital humano, pela qual se investe nas pessoas para que elas possam competir no mercado”. De acordo com a socióloga, a saúde perdeu seu status de direito, se tornando um investimento na qualificação do indivíduo.

Ou, como afirma Hélio Jaguaribe em seu artigo No limiar do século 21: “Num país com 190 milhões de habitantes, um terço da população dispõe de condições de educação e vida comparáveis às de um país europeu. Outro terço, entretanto, se situa num nível extremamente modesto, comparável aos mais pobres padrões afro-asiáticos. O terço intermediário se aproxima mais do inferior que do superior”.

A sociedade brasileira deve perceber que sem um efetivo Estado democrático, não tem como combater ou mesmo reduzir significativamente a desigualdade social no Brasil.

Orson Camargo
Colaborador Brasil Escola
Graduado em Sociologia e Política pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP
Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Sociedade separada por classes


Gordos(obesos) e Magros(sarados), são separados por discriminação da sociedade.
Os magros são os normais e gordos são classificados anormais.

Ser gordo(a) tornou-se quase um pecado, numa sociedade onde a beleza do corpo físico tornou-se o bilhete de identidade para quase tudo. Mas, a gorda ou a magra, devem ter prazer no seu corpo tal como ele é.
Muitas são as pessoas na nossa sociedade que ignoram as pessoas mais gordas, ou melhor, fogem deles a sete pés porque julgam que estar com um obeso irá diminuir-lhes a imagem perante os outros. Vendo na gordura algo repugnante, a mentalidade da época moderna apenas aplaude os corpo magros, escanzelados, com os ossos a sobressaírem. A gordura deixou de ser formosura para passar a ser um pecado social, discriminando os gordos em diversas situações.

Na realidade, ser gorda é um problema que apenas diz respeito a quem o é na realidade. O resto das pessoas devem encarar a obesa por aquilo que ela é interiormente, aquilo que ela vale, e demonstra enquanto pessoa. Tudo o resto são meras conjecturas, muitas delas sem razão de o ser, fruto de uma sociedade com uma mentalidade ridícula e que apenas dá valor aos corpos que são exibidos nas revistas e televisão. Há, sem dúvida, uma discriminação à pessoa que é gorda, dificultando a sua vida em muitos sectores, nomeadamente no campo profissional.

A ideia de que se a pessoa obesa quiser perde peso, prolifera ainda nos circuitos sociais. Porém, esta afirmação não corresponde totalmente à veracidade da questão. A pessoa obesa pode tentar perder peso, e pode até consegui-lo, mas num período de três anos a dieta acaba por se revelar ineficaz. Ainda que as calorias ingeridas sejam mínimas, a verdade é que o corpo consegue corresponder a este impulso apenas num período de tempo limitado. A pessoa obesa pode até continuar com a dieta, mas chega a uma determinada altura em que a dieta já não demonstra os seus benefícios.

Ser-se gorda nem sempre é um problema exclusivo da alimentação da pessoa ou da falta de exercício. O peso de uma pessoa provém de um número extenso de factores que passa pela genética, o antepassado familiar, e o próprio metabolismo de cada um. Se experimentar uma dieta, esta mostra-se muito eficaz num determinado período, mas quando a deixa o corpo tem tendência a engordar o dobro do que na altura em que a iniciou. Nem sequer é uma questão de força de vontade, mas sim uma perspectiva metabólica para a qual o obeso não tem armas para lutar.

O facto de ser gordo pode não ser necessariamente algo que fuja dos padrões de saúde. Dependendo da forma como a pessoa se sente, a obesa pode até levar uma vida perfeitamente normal e os seus exames médicos revelarem que está tudo bem. Por isso, a questão do peso pode não implicar sempre outros tipos de problemas de saúde. O ideal é a pessoa obesa manter-se o mais saudável possível, comendo regularmente todas aquelas coisas fundamentais para o organismo e que não contenham muita gordura. Mesmo que não note uma grande diferença na balança, convém alimentar-se devidamente segundo os padrões da boa alimentação e fazer algum exercício físico, pois a vida sedentária prejudica ainda mais o indivíduo.

A pessoa obesa sente-se muitas vezes discriminada. A vida profissional é um dos sectores onde a pessoa obesa encontra graves problemas. Mesmo em cargos nos quais o encontro com o cliente ou público não são necessários é habitual que se verifique uma discriminação nesse sentido, anulando logo as hipóteses ao candidato a essa vaga. Ao sentirem-se discriminados pela sociedade, muitos dos obesos acabam mesmo por não irem a ginásios exercitar-se com receio que as pessoas olhem ou comentem o seu corpo. Por causa deste tipo de situações, a pessoa obesa pode também ter problemas em relacionar-se com alguém no campo amoroso e sexual. Sabendo que os outros a repudiam é natural que sinta que também no amor possa vir a sentir-se rejeitada pelo sexo oposto.

Este tipo de situações podem vir a tornar a pessoa extremamente nervosa, frágil e sem qualquer nível de auto estima. E, quando se apercebem realmente disso, a tendência é apenas uma: comer ainda mais. O importante é não deixar que a pessoa se vá abaixo, independentemente da sensação de discriminação que possa estar a sentir. Na realidade, a pessoa obesa pode fazer tudo aquilo que uma pessoa com um peso normal faz. Portanto, a diferença é apenas uma questão de peso e nada mais. Os obesos são pessoas iguais a outras quaisquer que apenas anseiam sobreviver numa sociedade que é de todos, gordos e magros, altos e baixos, negros ou brancos.

A ideia que os gordos são feios, uma ideia muito habitual, é totalmente falsa. Se reparar com atenção vai encontrar pessoas obesas bem bonitas, mas a sociedade apenas não as vê porque se mentalizou à partida de que os gordos são pessoas feias. A única diferença entre os obesos e os não obesos é apenas a largura, pois tudo o resto são atributos possíveis em qualquer um deles. Ser gorda não é vergonha nenhuma, nem tem que ter pudor em relação a isso. Tratam-se de pessoas com disfunções metabólicas, mas que não devem ser julgadas apenas por terem uns quilos a mais.

Se é uma pessoa obesa orgulhe-se de ser tal como é, isto se já tentou de tudo e não encontrou solução para o seu caso. Se ainda não se esforçou devidamente para perder peso, a solução é aplicar-se um pouco mais e ter muita força de vontade. Até lá, não tenha nunca vergonha de ser como é!

domingo, 1 de maio de 2011

Dia do Trabalho








O Dia do Trabalho é uma data universal.

Comemorado no dia 1º de maio, o Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador é uma data comemorativa usada para celebrar as conquistas dos trabalhadores ao longo da história. Nessa mesma data, em 1886, ocorreu uma grande manifestação de trabalhadores na cidade americana de Chicago.

Milhares de trabalhadores protestavam contra as condições desumanas de trabalho e a enorme carga horária pela qual eram submetidos (13 horas diárias). A greve paralisou os Estados Unidos. No dia 3 de maio, houve vários confrontos dos manifestantes com a polícia. No dia seguinte, esses confrontos se intensificaram, resultando na morte de diversos manifestantes. As manifestações e os protestos realizados pelos trabalhadores ficaram conhecidos como a Revolta de Haymarket.

Em 20 de junho de 1889, em Paris, a central sindical chamada Segunda Internacional instituiu o mesmo dia das manifestações como data máxima dos trabalhadores organizados, para assim, lutar pelas 8 horas de trabalho diário. Em 23 de abril de 1919, o senado francês ratificou a jornada de trabalho de 8 horas e proclamou o dia 1° de maio como feriado nacional.

Após a França estabelecer o Dia do Trabalho, a Rússia foi o primeiro país a adotar a data comemorativa, em 1920. No Brasil, a data foi consolidada em 1924 no governo de Artur Bernardes. Além disso, a partir do governo de Getúlio Vargas, as principais medidas de benefício ao trabalhador passaram a ser anunciadas nesta data. Atualmente, inúmeros países adotam o dia 1° de maio como o Dia do Trabalho, sendo considerado feriado em muitos deles.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Com Jesus tudo podemos









"Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus, não tem a vida" (1 João 5:12).



Jesus não hesitou em afirmar que é o único caminho a Deus:
"Respondeu-lhe Jesus, 'Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim" (João 14:6).
Isto torna essencial que cada um de nós esteja em Cristo. Você está em Cristo?
"Porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes" (Gálatas 3:27).
"O que permanece na doutrina, esse tem tanto o Pai como o Filho" (2 João 9).



Permaneça unido ao Senhor Jesus e receba sua recompensa: a vida eterna...

Jesus é o único caminho




JESUS, O DOGMÁTICO:
Dogmático: É aquele que defende a existência de verdades absolutas. Jesus Cristo mostrou-se dogmático em matéria sw religião, segundo o registro dos evangelistas. vejamos alguns exemplos.
1 - Quanto ao Conhecimento de Deus:
(MT 11:27) - Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
(JO 17:3) - E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.
2 - Quanto ao Caminho para se chegar até Deus:
(JO 14:6) - Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.
(MT 7:14) - porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela.
3 - Quanto a Natureza Pecadora do Homem:
(MC 7:15) - Nada há fora do homem que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai do homem é o que o contamina.
(JO 8:34) - Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado.
4 - Quanto a Possibilidade de o Homem produzir a sua Própria Salvação:
(MT 19:25) - Ouvindo isto, os discípulos ficaram grandemente maravilhados e disseram: Sendo assim, quem pode ser salvo?
(MT 19:26) - Jesus, fitando neles o olhar, disse-lhes: Isto é impossível aos homens, mas para Deus tudo é possível.
(JO 6:44) - Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia.
5 - Quanto a Possibilidade de servir a dois Senhores Simultaneamente:
(MT 6:24) - Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.
(MT 16:24) - Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me.
6 - Quanto a Adoração de Deus:
(JO 4:23) - Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.
(JO 4:24) - Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.
(MT 4:10) - Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto.
7 - Quanto a Possibilidade de um Cristão perder a sua Salvação ou mudar de Senhor:
(JO 6:37) - Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora.
(JO 10:29) - Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar.
8 - Quanto a Possibilidade de Satisfação Espiritual Fora de Jesus Cristo:
(JO 3:36) - Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.
(JO 6:35) - Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede.
9 - Quanto a Certeza da Ressurreição do Corpo e o Julgamento Final:
(JO 5:28) - Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão:
(JO 5:29) - os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo.
(MT 25:46) - E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna.
10 - Quanto ao Amor de Deus pelo Pecador:
(JO 15:13) - Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos.
(JO 3:16) - Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.


A palavra no Evangelho de Mateus 23.1-16, relata que Jesus falou à multidão e aos seus discípulos, dizendo: Na cadeira de Moisés, estão assentados os escribas e fariseus. Amam as saudações nas praças, e o serem chamados pelos homens: Rabi, Rabi.
Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos. E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus. Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, que é o Cristo.
O Senhor Jesus faz uma séria advertência para que ninguém queirais ser chamado, de Rabi, Mestre, Pastor, porque somente Ele é digno desse tratamento e todos os demais sois irmãos.
Sabendo Ele ainda da ousadia de muitos que almejam receber a mesma reverência que o Criador, serem chamados de pai, evidenciou que Pai é somente Deus que está no céu.
A propósito, conhecem o significado das palavras “PADRE” e “PAPA”? Pois bem, “padre” em espanhol significa pai, como “papa” na língua italiana também significa pai. Esse pronome é exclusividade do Pai Criador, e jamais homem algum poderá ambicionar ser tratado como Deus, mas a criatura quer se nivelar ao seu Criador.
Temos conhecido também alguns teólogos que possuem o título de REVERENDO. Vamos conhecer o significado dessa denominação honorífica, em pesquisa realizada nos dicionários da língua portuguesa:
Reverendo: Digno de reverência, respeitoso.
Reverência: Respeito às coisas sagradas, veneração, acatamento, inclinação da cabeça e do corpo em adoração a alguém.
Agora meditem na incoerência dos que possuem esse título (reverendo), se no Livro do Apocalipse 4.11, a Palavra relata que somente o Senhor Deus é digno de reverência, adoração, honras e glórias, vejamos:
Digno és, Senhor, de receber honras, glórias, e poder, porque tu criaste todas as coisas e por tua vontade são e foram criadas.
No Evangelho de Mateus 25.31-46, a palavra narra que na vinda de Cristo Ele levará consigo as suas ovelhas e dará a cada um, segundo as suas obras. Observaram o perfil dos que irão com Cristo? São as suas ovelhas.
O ÚNICO PASTOR
O homem que possui o título de “pastor” se fundamenta na carta do Apóstolo Paulo aos Efésios 4.11-13, para ostentar esse título, porque a palavra diz: Ele deu uns para apóstolos, outros para evangelistas, outros para pastores e doutores; querendo o aperfeiçoamento dos Santos para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo; até que cheguemos à unidade da fé, a varão perfeito, a medida da estatura completa de Cristo.
Observem, são afirmações de um Apóstolo, chamado e ungido por Cristo. Ele disse: Até que cheguemos a uma fé única, a varão perfeito, a estatura completa de Cristo.
Ele disse estatura completa de Cristo; não aproximada. Completa na fé, na humildade, na bondade, no poder, na coragem de dar a sua vida em sacrifício, por pecadores. O irmão conhece algum pastor com esses atributos?
Então, o que Senhor disse com essa mensagem? A resposta está mencionada: O Senhor quer o aperfeiçoamento dos Santos para a obra do Ministério.
Isso é uma exortação sobre o nível de santificação que o líder da comunidade como igreja deve atingir, para ser o exemplo de fé e santidade diante da congregação, para a obra do ministério que exerce.
Aqui, a palavra não está outorgando ao homem, direitos para receber o mesmo título que Jesus triunfou na cruz, com o seu próprio sangue, porque o Senhor disse: Sede santo, porque eu sou santo.
O autor do texto disse: Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo. Porque sem santificação ninguém verá a Deus, e o testemunho de santificação deve começar pelo líder da igreja.
Mas também está escrito (Hebreus 13.17): Obedecei aos vossos pastores e sujeitai-vos a eles. Está corretíssimo, a referência é sobre a função exercida pelo líder da igreja, o qual tem a responsabilidade de conduzir o rebanho para o encontro com o Senhor Jesus Cristo. Nós reverenciamos o Sumo Pastor, o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
E no Evangelho de João 10.11-13, disse Jesus: Eu sou o bom Pastor, e dou a minha vida pelas minhas ovelhas, mas o mercenário (mercenário quer dizer o que trabalha por dinheiro, ganancioso), vê vir o lobo e foge, e o lobo as arrebata; mas foge porque não é Pastor, é mercenário.
E ainda em João 10.16, Jesus ratificou: Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também, me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor.
O Senhor Jesus afirma que Ele é o único Pastor, que tem outras ovelhas, mas ainda não estão no seu aprisco, e lhe convém agregá-las. E você meu irmão, está agregado no rebanho de qual pastor? Por essa razão precisamos estar no rebanho de Cristo, e confessar somente Ele como nosso único Pastor.
Alguns contestam dizendo que um rebanho e um Pastor só ocorrerá na vinda de Cristo. Mas o Evangelho de Lucas 20.35, 36 revela que somos ovelhas somente aqui na terra, porque na vida futura receberemos o galardão da vida eterna e seremos semelhantes aos anjos de Deus.
Agora muita atenção no que refere a palavra do Senhor no livro de Eclesiastes 12.11: As palavras dos sábios são como aguilhões, e como pregos bem fixados pelos mestres das congregações, que nos foram dadas pelo único Pastor.
O MINISTÉRIO DOS PRESBITEROS NO EVANGELHO
No Novo Testamento, sempre que a palavra menciona o dirigente da igreja como “pastor”, está referindo-se ao cargo ou função do apascentador do rebanho. Ou seja, a função executada pelo apascentador de ovelhas certamente é de “pastor”. Daí, até ostentar um título que somente Cristo é merecedor, fica muito distante.
Porque a referência é sobre a função exercida, e não a concessão de um título honorífico. Semelhantemente, somente os doze discípulos de Cristo receberam o Título de Apóstolo (posteriormente Paulo substituiu aquele que se perdeu), como também, somente Deus poderá ser tratado por Pai.
A liderança sobre as igrejas que hoje são realizadas pelos denominados “pastores”, no Evangelho de Cristo era exercida por presbíteros e bispos (Atos 20.28, I Timóteo 3.2, Tiago 5.14 e I Pedro 5.1-3). Porem, o homem ambicionando status, poder, bens materiais, se responsabilizou por essa mudança no tratamento à aqueles que exercem a atividade de liderar as igrejas, tanto que na carta a Tito (Tito 1.5-9), a palavra manda estabelecer Presbítero ou Bispo nas igrejas, e ilustra o perfil desses:
Que sejam irrepreensíveis, marido de uma mulher, que tenham filhos fieis, que sejam justos, moderados, santos, que não possam ser acusados de dissolução, que não sejam soberbos, não dados ao vinho, nem agressivos, e nem de torpe ganância ou ambicioso.
O que também fora ratificado no na 1ª carta de Pedro 5.1, 2, onde relata:Aos presbíteros que estão entre vós, apascentai o rebanho de Deus, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente, nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto.
A palavra do Senhor ordena aos Presbíteros a apascentar o rebanho de Deus, mas alerta-os para que sejam voluntários (Derivado da vontade própria; em que não há coação nem retribuição pelos serviços prestados).
Outra peculiaridade na palavra, às vezes desapercebida, é justamente relacionada a títulos aos homens santos que trabalhavam na obra do ministério, desde a igreja primitiva.
Observem que no Novo Testamento, os únicos detentores de títulos, alem de Jesus, o Sumo Pastor, foram apenas 12 (doze) Apóstolos por Ele escolhidos, posteriormente Paulo foi chamado em substituição Judas Iscariotes, para compor o apostolado.
Podemos citar alguns exemplares como Lucas, Marcos, Timóteo, Tito, Filemon, Estêvão e tantos outros homens santos de Deus que tanto cooperaram com o Evangelho de Cristo, sacrificando até a própria vida. Mas qual o título ou posto ministerial desses irmãos? Não possuíam título algum, eram servos, pregadores do Evangelho do Senhor Jesus Cristo.
Hoje, se vê pastores, apóstolos, reverendos, doutores, presbíteros, bispos, anciãos, e tantos outros carregados de títulos (ungidos por homem é claro) por todos os lados. As igrejas estão abarrotadas por esses eruditos.
Mas gostaríamos que os irmãos apontassem dentro da palavra, o nome de pelo menos um dos homens santos de Deus, com o título de “pastor” ou qualquer outro título que citamos, exceto aos Apóstolos que tiveram o título concedido pelo Mestre.
Semelhantemente a mulher no púlpito ostentando títulos de pastora, bispa, presbítera, etc., gostaríamos de saber onde está o fundamento bíblico para essa prática? Mas não vamos entrar nesse mérito por ser uma intransigência fora da palavra, não há razão para falarmos sobre esse assunto por se tratar de uma heresia, porque à mulher, não lhes é permitido falar na igreja (I Coríntios 14.34 - I Timóteo 2.11,12).
Porem, lhes é permitido anunciar o Evangelho, mas não como líder da igreja, ou como pregadora oficial no culto, porque na palavra, não há referência de título para as mulheres, nem mesmo como função.
A UNÇÃO PARA O MINISTÉRIO
Estando os Apóstolos reunidos, logo após a ressurreição Jesus se apresentou entre eles (João 20.21, 22) e disse-lhes: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio. E, havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo.
O que também ocorreu no capítulo 2 de Atos, após a ascensão de Cristo ao Trono de Glórias do Pai. Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.
Notamos que por duas vezes consecutivas Jesus manifestou-se entre os discípulos e lhes ungiu com o Espírito Santo. Porventura não seria suficiente ungi-los uma única vez?
Podemos enfatizar que na primeira vez que o Senhor Jesus os ungiu, foi lhes ofertado o selo da promessa do Espírito Santo para a salvação da vida eterna.
E no dia de Pentecostes, pela manifestação do Espírito Santo do Senhor Jesus, pela segunda vez receberam a unção para a obra do ministério, tanto que receberam o Espírito Santo, e imediatamente começaram a falar em línguas estranhas, conforme as nações dos povos presente, iniciando naquele momento a Igreja Primitiva de Cristo, e a maior obra de pregação realizada na face da terra . Porque Jesus disse, eu vou, mas não vos deixarei órfão, eis que enviarei o Espírito Santo, porque se eu não for, ele não virá.
Hoje, o próprio homem se encarrega de ungir a “pastor” o seu companheiro, e o único requisito para receber esse título, quando muito, é ter formação teológica, e a unção vem aleatoriamente, deixando em segundo plano a promessa do Senhor Jesus, pela manifestação do Espírito Santo.
A palavra diz que o servo de Deus tem autoridade para ungir nos casos de enfermidade. Ungir em nome do Senhor Jesus (Tiago 5.14), mas para a obra do ministério, somente Deus ungirá: O que nos confirma convosco em Cristo e nos ungiu é Deus (II Coríntios 1.21). E ainda afirma que a unção vem de Deus, e não há necessidade de que ninguém vos ensine nada, porque a unção do Espírito Santo vos ensina todas as coisas (I João 2.20, 27).
E no Evangelho de Lucas 4.18, disse Jesus: O Espírito do Senhor é sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados de coração. Notem que a unção do Senhor Jesus veio do Espírito Santo de Deus (Mateus 3.16, 17).
E na carta aos Hebreus 1.9 diz: Amaste a justiça e aborreceste a iniqüidade; por isso Deus, o teu Deus te ungiu com óleo de alegria como a nenhum de teus companheiros.
E no 1º Capítulo de Atos, a palavra descreve que os onze Apóstolos oraram a Deus para escolher o sucessor de Judas Iscariotes, tendo a sorte caído sobre Matias, o qual foi contado entre os doze.
Porem entende-se, que essa escolha e unção não foi homologada pelo Senhor, visto que em seguida, o próprio Jesus convocou Saulo (Atos 9) para compor o Apostolado, e a palavra não citou mais o nome de Matias.
Esse exemplo é para reconhecermos que somente o Senhor Deus, tem autoridade e competência para ungir os seus servos para a obra do ministério, através do seu Espírito Santo, segundo a sua vontade.
E no Evangelho de Mateus 28.19 disse Jesus: Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo (Edição revista e atualizada).
Portanto amados em Cristo, ao homem servo de Deus, foi limitado a autoridade para fazer discípulos, porque apóstolos (apenas 12) somente o Senhor Jesus teve autonomia para fazer, como também a unção para a obra do ministério, Ele é quem ungirá os chamados por seu decreto.
Salmos 23. O Senhor é o meu Pastor, e nada me faltará. Quem tem ouvidos ouça a voz do Espírito Santo de Deus.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Orientações financeiras

Como organizar a vida financeira.


Três passos para endireitar a sua vida financeira

Como você pode endireitar a sua vida financeira? Esse artigo tem o objetivo de lhe mostrar 3 passos que abrangem toda sua caminhada em direção a Independência Financeira. Assim você terá uma visão ampla e prática dos passos que você deve dar para endireitar a sua vida financeira e seguir a caminho dos seus objetivos.

Entender os aspectos gerais do caminho para uma vida financeira saudável é importante para sabermos em que parte estamos e o quais os próximos passos para irmos em frente. O que acontece é que muitas pessoas querem se endireitar financeiramente mas não tem consciência do caminho a percorrer e acabam se perdendo.

Ter uma vida financeira saudável é poder viver com prazer o presente poupando para continuar vivendo bem, ou melhor, no futuro. Esse é o grande objetivo, ou seja, viver com qualidade de vida no presente e ainda poupar para continuar ou melhor esse estilo de vida no futuro.

Os 3 passos para endireitar a sua vida financeira irão lhe dar uma visão mais ampla desse caminho, quais etapas você deve percorrer e quais os seus próximos passos. Vejamos os 3 passos para endireitar a sua vida financeira:

Passo 1: Orçamento superavitário
Ter um orçamento superavitário nada mais é do que o famoso gastar menos do que se ganha. Essa é a lição mais básica da Educação Financeira mas que 68,4% dos brasileiros não seguem. Dar o primeiro passo de ter uma orçamento superavitário não é fácil e existem diversas armadilhas.

Primeiramente vamos entender a estrutura de um orçamento. Para simplificar o aprendizado, vamos dividí-lo em receitas, despesas "fixas", despesas com qualidade de vida, despesas com educação, outras despesas e investimentos.

A maioria das pessoas gasta mais do que ganha porque a grande parte das sua despesas são fixas, ou seja, prestações, gasolina, aluguel, alimentação, transporte, assinaturas, e etc.

Com as despesas fixas altas o orçamento fica "engessado", ou seja, quando a sua receita entra já está praticamente toda destinada ao pagamento das despesas fixas, sobrando muito pouco, ou nada, para as despesas com qualidade de vida, educação, outras despesas e investimentos.

Nessa situação, o indivíduo muitas vezes não tem nem dinheiro sobrando para investir em sua educação visando aumentar a sua receita para sair dessa situação. E mais, o que acontece quando a receita dessa pessoa aumenta? Ela simplesmente eleva os seus gastos fixos e volta a mesma situação. Será que é isso que acontecerá com a maioria dos brasileiros após a ascensão social vivida atualmente?

Certo, o que fazer então para ter um orçamento superavitário e continuar a caminha para uma vida financeira saudável? São 5 coisas: Diminua ao máximo as despesas "fixas" e aumente as despesas com qualidade de vida, educação, outras despesas e o seus investimentos. Tudo isso continuando gastando menos do que se ganha. Certo mais quais são os benefícios disso? Veremos os benefícios de cada um:


1) Diminuir despesas "fixas": Fazendo isso você irá "desengessar" o seu orçamento e não terá mais comprometido quase a totalidade das suas receitas com esse tipo de despesa. Para diminuí-las você pode reavaliar suas despesas "fixas" ou vender coisas que não usa mais para quitar prestações, que geralmente tem grande representatividade. É importante deixar as despesas "fixas" menores possíveis para "desengessar" o seu orçamento e poder aproveitar ao máximo os benefícios dos outros tópicos.


2) Aumentar despesas com qualidade de vida: As despesas com qualidade de vida são aquelas que são com coisas que lhe dão prazer e "motivos" de viver. São seus hobbies, gostos e manias. É esse tipo de despesa que lhe traz uma grande felicidade. Sendo assim, você estará mais motivado e feliz na sua vida e no trabalho, podendo até gerar uma aumento das suas receitas no futuro. Essas despesas têm papel importantíssimo na sua caminha, mas não podem ser levadas como desculpa por gastar demais devido aos seus benefícios, pois você ainda deverá ter dinheiro para aproveitar os benefícios dos outros tópicos.

3) Aumentar as despesas com educação: Quanto mais você investir em educação mais a sua receita vai aumentar, se tornando um ciclo crescente de desenvolvimento. Se você tem despesas "fixas" que "engessam" o seu orçamento não irá conseguir desfrutar desse ciclo de desenvolvimento. Entretanto, se aumentar as despesas com educação irá aumentar as suas receitas e, conseqüentemente, irá poder aumentar um pouco as despesas "fixas" como também os outros tópicos.

4) Aumentar as outras despesas: As outras despesas seriam imprevistos que acontecem regularmente com todos nós. Quando temos um orçamento "engessado" pelas despesas "fixas" esses imprevistos nos fazem contrair mais dívidas e aumentam nossas despesas "fixas" com mais prestações, gerando um ciclo de empobrecimento. Quando você tem espaço no orçamento para esse tipo de imprevisto você está mais seguro e tranqüilo para seguir a sua caminhada em busca de uma vida financeira saudável.



5) Aumentar investimentos: Tendo um orçamento superavitário você poderá investir mensalmente para garantir um futuro com segurança e independência financeira. Investir bem esse dinheiro é o segundo passo para uma vida financeira saudável.

Passo 2: Plano de investimentos vencedor
Após ter um orçamento superavitário e separar mensalmente dinheiro para investimentos, é hora de ter um plano de investimentos vencedor. Um plano de investimentos nada mais é do que saber o que fazer com o dinheiro que você tem para investir mensalmente.

O importante é você começar com uma plano simples e depois, a medida que você desenvolve a sua Inteligência Financeira, você o aperfeiçoa. Um plano simples seria toda vez que você tiver dinheiro para investir você coloca na caderneta de poupança, fundos imobiliários ou uma previdência privada. Outra maneira de começar a estruturar é usando a estratégia do rebalanceamento.

Um plano vencedor é aquele que se você o seguir irá conseguir atingir o seu objetivo, mesmo mediante riscos. Um bom exemplo disso é um plano vencedor que investe em ações. Mesmo o mercado de ações oferecendo prejuízos, o plano será vencedor se as operações que gerarem lucros forem mais frequentes e maiores do que as operações que gerarem prejuízos. Se analisarmos os grandes investidores, todos eles têm uma plano de investimentos que diz quando fazer ou se desfazer de certo investimento e utilizando isso ele ganha mais e mais vezes do que tem prejuízos. Esse é um plano de investimentos vencedor.

Comece seu plano simples e aperfeiçoe-o a medida que desenvolve a sua Inteligência Financeira. Ao fazer isso você estará dando o segundo passo em direção à uma vida financeira saudável. Concluindo esse passo você já está alcançando o seu objetivo de ter uma vida financeira saudável e poder viver com prazer o presente poupando para continuar vivendo bem, ou melhor, no futuro. O passo 3 irá acelerar esse ciclo de crescimento e prosperidade.

Passo 3: Aceleração
O 3º passo é a aceleração em direção a sua Independência Financeira. Nele iremos abordar atitudes que você tomar para antecipar a sua Independência Financeira. Algumas dessas atitudes são:

*Aumente as suas receitas: Aumentar as suas receitas irá acelerar a sua caminha e o seu padrão de vida. Assim você terá mais segurança, poderá fazer mais coisas que gosta, aumentar um pouco as suas despesas "fixas" e poder investir mais mensalmente, antecipando assim a sua Independência Financeira. Você pode aumentar as sua receitas de 3 maneiras: Investindo em sua carreira, adquirindo uma renda extra ou abrindo o seu próprio negócio. Se você quer acelerar com essa atitude escolha uma das 3 maneiras e siga em frente.

* Quando a sua receita aumentar, aumente os seus investimentos e não as suas despesas: Essa atitude fará com que você invista cada vez mais dinheiro e consiga antecipar a sua Independência Financeira. Um dos grandes especialistas que indica essa atitude é Gustavao Cerbasi, onde ele fala que chegou a poupar 85% da sua renda conjunta devido a ter tomado essa atitude e isso fez com que ele antecipasse a sua Independência Financeira.

* Aumente a sua Inteligência Financeira: Aumentar a sua Inteligência Financeira irá fazer com que você aperfeiçoe seu plano de investimentos e tenha resultados cada vez mais vencedores e lucrativos, antecipando a sua Independência Financeira. Para fazer isso é preciso dedicação, além de ler livros, participar de blogs e fóruns, fazer cursos, ia à palestras e procurar um círculo social favorável.

Seguindo esses três passos certamente, você que busca a tão almejada independecia financeira, conseguirá de forma mais eficaz e de maneira menos desprazerosa chegar ao seu objetivo: ter independencia finaceira não abrindo mão dos prazeres da vida.

Não esquecendo que para dar certo é necessário que haja organização dos gastos em lazer, dos gastos ditos "fixos" e dos gastos com ecucação para que seja possivel um melhor planejamentos de seus futuros investimentos para obter sua independência.

Ser uma pessoa feliz e organizada lhe garantirá um futuro sem preocupações, pois permetirá a você investir em você mesmo e em seu dinheiro! Vamos começar?

Fonte: Financeiramente Inteligente